Fox PB
Início » Câmara aprova repasse de R$ 62 bilhões para compensar perdas com Lei Kandir
Brasil

Câmara aprova repasse de R$ 62 bilhões para compensar perdas com Lei Kandir

BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) — A Câmara dos Deputados aprovou, nesta segunda-feira (14), o repasse progressivo até 2037 de R$ 58 bilhões para estados e municípios como compensação pelas perdas com a Lei Kandir, além da transferência de R$ 4 bilhões condicionada a dois leilões de campos de petróleo.

O projeto de lei complementar foi aprovado por 408 votos a favor e 9 contrários. Agora, o texto vai à sanção do presidente Jair Bolsonaro (sem partido).

A chamada lei Kandir (1996) prevê a isenção de pagamento de ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços) sobre as exportações de produtos primários ou semielaborados, como produtos agrícolas, carnes, madeira e minérios.
A legislação se tornou motivo de disputa ao longo dos anos, pois a contrapartida aos estados e municípios nunca havia sido claramente estabelecida. O Confaz (Conselho de Secretários de Fazenda) estimou que as perdas chegavam, anualmente, ao valor de R$ 40 bilhões a R$ 50 bilhões.

O texto é resultado de um acordo homologado em maio no STF (Supremo Tribunal Federal) entre o governo federal e o Fórum Nacional de Governadores.

De acordo com o texto aprovado nesta segunda, entre 2020 e 2030 serão entregues R$ 4 bilhões ao ano. De 2031 a 2037, o repasse cairá progressivamente em R$ 500 milhões ao ano. No total, de 2020 a 2037 serão transferidos R$ 58 bilhões.

Além disso, projeto também muda a lei nº 13.885, de 2019, e prevê a transferência de R$ 4 bilhões condicionada a dois futuros leilões dos campos de Atapu e Sépia, na bacia de Santos. Se os leilões ocorrerem em anos diferentes, segundo o projeto, serão entregues R$ 2 bilhões em cada ano em que houver leilão.

O texto prevê que estados receberão 75% dos repasses totais, enquanto os municípios ficarão com 25%.

O relator do projeto, deputado Lucas Redecker (PSDB-RS), afirmou que o texto vai ajudar na organização financeira de estados e municípios, para que “consigam ter investimentos no caixa, a longo prazo, renegociar os seus problemas financeiros e também entregar o serviço ao cidadão de forma mais efetiva.”

O acordo firmado com o STF também prevê o repasse de R$ 3,6 bilhões, que não foram contemplados no projeto aprovado pela Câmara nesta segunda. Esse valor dependerá da aprovação de uma PEC.

FOLHAPRESS

Notícias relacionadas

Ana Paula Valadão critica pastores que não cancelaram cultos em meio a pandemia do Coronavírus

foxpb

Aumenta procura por divórcio durante a pandemia no Brasil

foxpb

Mais vítimas da tragédia no Hospital Badim são enterradas no Rio

foxpb

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.